Foto: Divulgação – ZF

Em 2020, a empresa de tecnologia ZF continuou a se concentrar na transformação da mobilidade. A criação da divisão de acionamentos para veículos elétricos, a integração da empresa de tecnologia de veículos comerciais Wabco, a venda de soluções de software independentes, bem como o início de um novo centro de software foram os principais exemplos. Em um ambiente economicamente desafiador, a ZF conseguiu garantir pedidos substanciais de clientes em novos setores de negócios de tecnologia. Eles confirmam a estratégia da “Próxima Geração da Mobilidade” da ZF e garantem o crescimento futuro. Ao mesmo tempo, a pandemia do coronavírus teve um impacto nos negócios da ZF em 2020. As vendas do grupo de 32,6 bilhões de euros ficaram 11% abaixo do valor do ano anterior de 36,5 bilhões de euros. O EBIT ajustado totalizou 1 bilhão de euros (2019: 1,5 bilhão de euros); a margem EBIT ajustado foi de 3,2% (2019: 4,1 %). O resultado líquido após impostos foi de menos 741 milhões de euros.

“2020 foi um ano ambivalente. No entanto, controlamos a crise juntos, avançamos ainda mais na transformação da empresa e garantimos novos pedidos substanciais em campos estrategicamente importantes de tecnologias futuras”, disse o CEO Wolf-Henning Scheider na quinta-feira na conferência de imprensa anual de 2021 da ZF.

 No início de 2021, a ZF criou a Divisão de Acionamentos para Veículos Elétricos que agrupa tecnologias de acionamento convencionais, híbridas e puramente elétricas para carros de passeio. Com essa abordagem, a ZF impulsionou com sucesso a transformação para a eletromobilidade. “Estamos em uma boa posição para oferecer aos nossos clientes toda a gama de mobilidade elétrica de uma única fonte em todas as áreas de mobilidade”, disse Scheider.

O núcleo da linha de produtos é o inversor como um componente central da eletrônica de potência. “Neste segmento, queremos nos tornar líderes de mercado na Europa e um dos principais fornecedores globais”, enfatizou Scheider. No final de 2020, a ZF recebeu pedidos de componentes de acionamento elétricos com um volume de vendas de 14 bilhões de euros nos próximos anos. Essa tendência positiva continuou nos primeiros meses de 2021 com novos pedidos. Com a criação da nova divisão, a ZF também está fortalecendo a cooperação multifuncional e reduzindo a coordenação e a tomada de decisões.

Nova divisão de tecnologia de veículos comerciais torna-se fornecedora líder de sistemas

A ZF também tem como objetivo uma organização unificada, eficiente e cooperativa no setor de veículos comerciais. A empresa de tecnologia de veículos comerciais Wabco será combinada com a atual divisão de Tecnologia para Veículos Comerciais da ZF, até o final deste ano. A Wabco foi adquirida em 29 de maio de 2020; seus números são incluídos nas demonstrações financeiras consolidadas para os sete meses após a aquisição.

Scheider vê um grande progresso no processo de integração: “A Wabco acaba se tornando uma combinação mais perfeita a cada dia. Desenvolvemos os primeiros projetos em conjunto e os transformamos em pedidos de clientes. E já podemos ver os benefícios da cooperação em termos de produtos e novos pedidos, bem como financeiramente.”

Software e computadores centrais são estabelecidos como novas áreas de negócios

O alinhamento estratégico de longo prazo da ZF será agora ainda mais acelerado nas áreas de eletrônica, software e condução autônoma. Pela primeira vez, a ZF também oferece produtos de software que os clientes podem adquirir independentemente do hardware. Para isso, a ZF criou um Centro Global de Software para acelerar o desenvolvimento de soluções de software e transformar produtos e serviços baseados em dados em modelos de negócios lucrativos. Isso tem grande potencial porque a participação do software no veículo continuará a aumentar e cada vez mais componentes são equipados com sensores que são fontes de dados em potencial. O Centro Global de Software da ZF funciona de acordo com os métodos mais modernos de desenvolvimento de software e recentemente apresentou o seu middleware automotivo para computadores centrais de alto desempenho em veículos da próxima geração.

Além do software, os componentes de hardware – como o computador modular de alto desempenho ZF ProAI – estão em alta demanda porque poderosos computadores centrais substituirão muitas unidades de controle pequenas em veículos no futuro. Em sua configuração mais recente, o ZF ProAI estabelecerá novos padrões para a digitalização e rede do automóvel. A ZF fornecerá vários milhões de unidades do ZF ProAI para fabricantes globais de carros de passeio e veículos comerciais. “Nosso objetivo é proteger e expandir ainda mais nossa posição em software e computação de alto desempenho por meio de uma campanha abrangente de digitalização. A ZF pretende ser uma fornecedora líder de unidades de controle central e produtos de software”, disse Scheider.

Tecnologia de energia eólica se desenvolve positivamente

A Divisão de Tecnologia Industrial também obteve sucesso em 2020. Os produtos da unidade de negócios de Tecnologia para Energia Eólica, por exemplo, tiveram grande demanda. As vendas nesta unidade quadruplicaram desde 2013, de cerca de 230 milhões de euros para, pela primeira vez, 1 bilhão de euros no ano passado. O projeto da transmissão ZF é baseado em uma nova abordagem de plataforma, com componentes padronizados que oferecem aos fabricantes de turbinas eólicas flexibilidade máxima. Isso permite uma adaptação rápida a novos modelos de turbinas e encurta o tempo necessário para o lançamento no mercado.

Um criador de tendências é uma parceria estratégica recentemente firmada entre a ZF e a fabricante dinamarquesa de turbinas eólicas Vestas. Juntas, as empresas desenvolverão transmissões para a nova e maior classe mundial de turbinas eólicas de 15 megawatts para aplicações em mar aberto (offshore). Pela primeira vez uma dessas turbinas pode gerar cerca de 80 gigawatts-hora de eletricidade verde por ano. Uma única turbina eólica é suficiente para cobrir o fornecimento de energia de cerca de 20 mil residências europeias e economizar mais de 38 mil toneladas de CO2.  Isso destaca as contribuições da ZF para a expansão das energias renováveis e a redução dos gases de efeito estufa.

Meta ambiciosa de tornar a empresa neutra para o clima até 2040

Os princípios de gestão empresarial sustentável estão firmemente ancorados na estratégia da ZF. O foco dos esforços de sustentabilidade é colocado nas quatro áreas de produtos, produção, colaboradores e cadeia de suprimentos. “Nossa meta ambiciosa é nos tornarmos neutros para o clima até 2040 – dez anos antes do planejado, de acordo com o Acordo de Paris”, disse Scheider, CEO da ZF. “Entre outras coisas, queremos cortar sistematicamente nossas emissões de CO2, em toda a nossa cadeia de suprimentos.” A ZF, portanto, introduziu o critério de sustentabilidade para conscientizar os parceiros de negócios sobre suas expectativas em termos de sustentabilidade e descarbonização. A ZF também se juntou à “Alliance of CEO Climate Leaders” do Fórum Econômico Mundial porque a proteção ambiental só pode ser gerenciada com sucesso a partir de um esforço conjunto.

Principais números mostram forte recuperação no segundo semestre de 2020

Com 32,6 bilhões de euros (2019: 36,5 bilhões de euros), as vendas do Grupo ZF em 2020 foram 11% menores do que no ano anterior. “Após o início da pandemia, rapidamente colocamos todas as despesas à prova”, disse o CFO da ZF, Dr. Konstantin Sauer. “Com um controle rígido de nossos custos e despesas de capital, bem como ajustes de nossas estruturas, conseguimos melhorar significativamente nosso resultado e fluxo de caixa no segundo semestre do ano. A recuperação do mercado ajudou.” A ZF também se beneficiou muito da recuperação do mercado chinês, razão pela qual as vendas na região da Ásia-Pacífico até mesmo excederam ligeiramente o valor do ano anterior.

O EBIT ajustado totalizou  1.047 milhões de euros (2019: 1.503 milhões de euros); a margem do EBIT ajustado caiu para 3,2% (2019: 4,1% ) O fluxo de caixa livre ajustado para atividades de Fusões e Aquisições – M&A,  totalizaram 994 milhões de euros (2019: 803 milhões de euros). O resultado líquido após impostos de menos 741 milhões de euros deve-se essencialmente a provisões para reestruturação e despesas iniciais substanciais para tarefas futuras, que a ZF deseja buscar apesar da rígida disciplina de custos.

A ZF também está mantendo suas atividades de pesquisa e desenvolvimento: No ano anterior, o índice de P&D aumentou de 7,3% para 7,7% em comparação com 2019. Isso corresponde a despesas de P&D de 2,5 bilhões euros (2019: 2,7 bilhões de euros). Os investimentos em propriedade, instalações e equipamento totalizaram 1,4 bilhões de euros (2019: 1,9 bilhões de euros). O índice de investimento foi de 4,4% (2019: 5,2%).

ZF garante liquidez adicional

Para melhorar a situação financeira, a ZF garantiu liquidez adicional no primeiro semestre de 2020 por meio de uma linha de crédito sindicalizada. Esta linha de crédito foi totalmente reembolsada no segundo semestre de 2020. A ZF também concordou com seu consórcio bancário para ajustar seus acordos financeiros. Pela primeira vez, a ZF implementou um programa EMTN (Euro Medium Term Note) que permite uma colocação mais rápida e flexível de títulos. No âmbito desse programa, a ZF já havia colocado títulos com um volume total de dois bilhões de euros no outono de 2020. “O mercado de capitais e nossos investidores apreciaram todas essas medidas”, disse Sauer. “Isso reforça sua confiança na estabilidade financeira da ZF, mesmo em tempos difíceis.”