Um grupo de 11 empresas participantes do projeto-piloto Rede de Aprendizagem em Eficiência Energética e Gestão de Energia (RedEE) Indústrias decidiu criar metas voluntárias de eficiência energética para juntas promoverem uma melhora na gestão energética e, assim, contribuir para as mitigações das mudanças climáticas.

A partir do intercâmbio de experiências feitas no âmbito da RedEE, as empresas definiram ações de curto prazo para aplicação até outubro de 2021, dentre as quais estão a instalação de mantas térmicas; adequação de projetos de recuperação de calor; descentralização do sistema de vácuo; melhoria de eficiência das torres de resfriamento; substituição de bombas de circulação de água, mudança de caldeira a óleo para biomassa e substituição de luminárias fluorescentes por luminárias LED.

A RedEE Indústrias, lançada no final de 2020, é uma iniciativa do Ministério de Minas e Energia (MME) do Brasil em parceria com o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) e o Ministério de Economia e Energia (BMWi) da Alemanha, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, no âmbito dos projetos Sistemas de Energia do Futuro e Parceria Energética Brasil-Alemanha. O projeto-piloto é implementado pela Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK São Paulo), em conjunto com a Mitsidi Projetos, especialista em eficiência energética, em São Paulo, e conta com a experiência do IREES (Institute for Resource Efficiency and Energy Strategies), responsável pelo padrão das Redes de Aprendizagem em Eficiência Energética (LEEN), na Alemanha. A moderação dos encontros é realizada pela ATMA Pessoas, referência em gestão de pessoas e redes de colaboração.

A iniciativa tem como objetivo proporcionar às indústrias conhecimento técnico para identificar potenciais de eficiência energética e transformá-los em ações rentáveis, por meio de uma intensa troca de conhecimento. Durante os seis primeiros meses de 2021, foram promovidos módulos temáticos moderados por especialistas para discutir tecnologias transversais e dar orientação em auditoria e gestão energética segundo a ISO 50.001. 

“A metodologia das redes impulsiona a adoção de melhores práticas na gestão de energia, uma vez que trabalhando conjuntamente, as empresas participantes são incentivadas a partir da troca de informação e histórias de sucesso”, afirma Samira Sousa, Coordenadora-Geral de Eficiência Energética do MME. 

Dentre os temas trabalhados pelos experts, bem como os cases de sucesso apresentados pelas indústrias participantes até agora, estão: as expectativas do mercado de energia em 2021; a gestão de energia para a implementação de metas e indicadores; modelos para a execução de projetos com foco em eficiência energética; redes de ar comprimido, recuperação de calor, desenvolvimento de medidas de eficiência em sistemas motrizes e fontes renováveis e cogeração.

As empresas que integram a RedEE Indústrias são: Danone, GELITA do Brasil, General Motors do Brasil, Grupo Maringá Ferro-Liga, Hyundai Motor Brasil, Novelis do Brasil, Randon, Robert Bosch, SUZANO, Unipar Carbocloro e Wheaton Brasil Vidros.  

Empresas interessadas em saber mais sobre a iniciativa podem entrar em contato pelo e-mail [email protected].