Foto: Unsplash

Compreender como os consumidores e anunciantes estão gastando seu dinheiro na indústria de entretenimento e mídia pode ajudar a fundamentar muitas decisões importantes de negócios. Buscando auxiliar nesse processo, a PwC oferece uma única fonte comparável de dados e análises de gastos de consumidores e anunciantes. Atualizada anualmente, a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia da PwC é uma ferramenta on-line intuitiva que permite que o usuário explore e compare facilmente os índices de gastos e de crescimento.

Em sua 22ª edição, a Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia da PwC concentrou seu foco nos deslocamentos de poder que estão ocorrendo no setor, em recuperação desde 2020.

Novos hábitos de consumo impulsionados pela pandemia transformaram segmentos específicos de E&M e modelos de negócios. Alguns enfrentaram dificuldades, enquanto outros se beneficiaram.

No Brasil, os segmentos vinculados à publicidade e que dependem de locais físicos foram impactados de modo negativo pela pandemia. Nem todos devem recuperar o que perderam nos próximos anos. As atividades mais prejudicadas pela pandemia foram: cinema (-86%), shows ao vivo (-77%) e feiras de negócios (-74%). A indústria de Entretenimento & Mídia no País deve crescer pouco menos que o mercado global no período 2020-2025: 4,7% e 5% ao ano, respectivamente.

A receita global total de E&M caiu 3,8% em 2020, de longe a maior retração na história da Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia – um total de US$ 81 bilhões, mais do que o valor de todo o segmento de música, rádio e podcasts em 2020. À medida que mais regiões no mundo saem do lockdown e as taxas de vacinação aumentam, a previsão é de um crescimento anual de 6,5% em 2021 e de 6,7% em 2022, o que ajudará a receita global total de E&M a alcançar uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 5% nos próximos cinco anos. No entanto, esse crescimento aparentemente saudável toma como base um ano muito fraco. Ao estender o período da CAGR para seis anos, temos um quadro menos otimista, com uma taxa de apenas 3,5%.

Em todo o mundo, os lockdowns tornaram o entretenimento doméstico a única opção, e o acesso à internet passou a ser essencial. No total, 1,1 bilhão de domicílios tinham banda larga fixa em 2020. Mais 4,6 bilhões de conexões de smartphones resultaram em uma pressão sem precedentes nas redes. O consumo total de dados aumentou 30% durante o ano, o que leva à previsão de uma tendência ainda maior de crescimento. O aumento da conectividade e da velocidade preparou o terreno para os resultados positivos de E&M em 2020, com vídeos OTT, videogames e publicidade na internet registrando crescimento acima da média.

Como nos anos anteriores, a PwC mergulhou em uma vastidão de dados, previsões e análises e desenvolveram novas perspectivas e insights que ajudarão na elaboração de estratégias para os próximos anos. Para acessar a pesquisa na íntegra, acesse o link.