O futuro da gestão de FM é agora. Você está preparado?

2 meses atrás 48 visualizações
LinkedIn

Robôs Móveis Autônomos (RMA) são a principal tendência em tecnologia de limpeza e estão a caminho de se tornar um novo padrão operacional. Os RMAs são mais completos, consistentes e capazes de se adaptar às necessidades de cada negócio. A boa notícia é que os clientes também já estão vendo os benefícios da utilização da automação robótica para lidar com tarefas diárias, além de terem ao alcance as análises de dados para mostrar como o trabalho está sendo feito e medir seus resultados.

 Quem não gosta de uma nova tecnologia, que promete melhor qualidade e produtividade para facilitar os processos de limpeza? Desde o desenho animado dos Jetsons – versão cômica da família que vivia num século futuro recheado de engenhocas e hologramas, e até contava com uma simpática robô doméstica chamada Rosey – estamos todos sonhando com as tecnologias que aquela realidade “previa” para o nosso futuro. E afinal, houve até muitos acertos, como as TVs de tela plana, telefones celulares, chamadas por vídeo e, claro: a ideia de um robô que cuida da limpeza como nenhum humano é capaz de fazer.

Obviamente não estamos falando aqui de um modelo humanoide, que veste uniforme de babados como a robô Rosey, mas em tecnologia de ponta, onde os chamados co-botics (robôs de limpeza que trabalham de forma colaborativa com os humanos) estão ganhando cada vez mais espaço na indústria da limpeza. Mas vamos entender como tudo isso funciona:

O cérebro dos robôs

Antes de existir o robô propriamente dito, é preciso desenvolver seu ‘cérebro’. Esta é a tarefa realizada pela empresa norte-americana Brain Corp.

“Trabalhamos com fabricantes de máquinas de limpeza para incorporar a nossa tecnologia aos equipamentos de limpeza que eles já produzem. Temos parceria com muitos dos principais fabricantes mundiais, permitindo que suas máquinas funcionem de forma autônoma”, explica Chris Wright, vice-presidente de Vendas da Brain Corp.  “A Brain Corp é responsável por desenvolver esse ‘cérebro’ das máquinas, que vai incorporar a tecnologia necessária e dar vida aos equipamentos de limpeza, para funcionem de forma autônoma e segura”.

Uma das vantagens dos Robôs Móveis Autônomos (RMAs) está no aumento da produtividade, já que cuidam das tarefas repetitivas liberando os trabalhadores para que possam concentre-se em tarefas mais importantes.

“Além disso, com base em milhões de horas de uso, podemos afirmar que estes robôs podem aumentar consideravelmente a segurança em comparação à operação manual”, aponta Chris. “Eles nunca se cansam, estão sempre presentes e garantem uma limpeza de alta qualidade. Eles não economizam apenas tempo e dinheiro para as empresas, mas também as ajudam a fornecer experiências mais consistentes, eficientes e mensuráveis ​​a seus clientes”.

Mais tecnologia = mais limpeza

Com cérebros montados e instalados nas máquinas, vem a parte prática: como aplicá-las da melhor forma à realidade do cliente? É aí que entram os bons fornecedores. “Quando considero a robótica, sempre faço a pergunta: ‘Qual o problema atual do cliente e como posso resolvê-lo?’”, destaca Dennis Collins, gerente de Produto Global Sênior de Robótica da TennantCo.

“A pandemia tornou a segurança na limpeza mais importante do que nunca e os robôs garantem que os padrões de limpeza sejam atendidos de forma eficaz. Todo profissional de Facility Management precisa estar atento às mudanças do mercado e às novas formas de executar tarefas”, completa André Stopiglia, gerente de Vendas da Nilfisk. “A limpeza está mudando, a forma de fazer limpeza e sua importância no dia a dia de instituições e corporações aumentaram muito com a conscientização trazida pela Covid. Aqueles que investem em inovação, se diferenciam como os que realmente levam a limpeza a sério”.

Sacha Haim, diretor do Comitê de Conteúdo Digital da Abralimp, corrobora a opinião: “Ter um processo com tecnologia de ponta mostra a preocupação e o cuidado com a limpeza. Isto porque um dos pontos mais sensíveis é poder verificar e atestar se o trabalho está sendo bem feito. Robôs autônomos são capazes de produzir relatórios mostrando exatamente o que foi lavado, em quanto tempo e, inclusive, registrando os casos em que não tenham conseguido lavar algum trecho em função de obstáculos. Isso dá total segurança para o processo de limpeza”.

Com a palavra, o cliente

A Ambev vem passando por uma jornada de Inovação e Transformação Digital há cerca de dois anos, sob o pilar da Indústria 4.0, com um objetivo claro: atender as demandas dos consumidores e clientes da melhor forma possível, prevendo suas necessidades para antecipar as soluções, inclusive nos processos de limpeza.

“O futuro da limpeza que buscamos é um trabalho realizado de forma segura e eficiente, que garanta os processos executados dentro da rotina e com alto padrão de qualidade”, destaca o especialista de Inovação em Equipamentos de Logística da Ambev, André Ferri. “Investimos em equipamentos e instalações modernas porque acreditamos que a robótica pode garantir um padrão de execução nas tarefas diárias e melhorar a operação no dia a dia”.

André salienta a importância de o trabalho de limpeza ser realizado da forma segura e saudável também para o operador, e acredita que os responsáveis pelo Facility Management podem contribuir para que pessoas e máquinas trabalhem juntos e agreguem os melhores resultados. “Robôs e máquinas autônomas ainda precisam de inputs de pessoas que trabalham na área. Por isso, o papel do gestor é fundamental para garantir que haja um ambiente de trabalho colaborativo, como forma de melhorar os nossos resultados”.

O fato é que o uso dos Robôs Móveis Autônomos de limpeza está crescendo a uma taxa otimista a cada ano. A estimativa dos fabricantes é que os RMAs em todo o mundo atinjam uma taxa composta de crescimento anual de dois dígitos até 2030. Mesmo no Brasil, país que ainda conta com um baixo custo de mão de obra, e onde o custo com transporte e impostos de máquinas é significativamente maior do que nos países em que são produzidas, o interesse por equipamentos de limpeza autônomos também é crescente.

“Acho que estamos apenas começando nessa jornada robótica no gerenciamento de FM, Acredito que você continuará a ver mais e mais robôs e automação nas instalações”, diz Dennis Collins. “A automação é uma maneira escalonável de resolver os problemas do cliente, portanto, conforme a tecnologia continua a evoluir, novos casos de uso passarão a ser vistos”.

“Quando o processo de limpeza e a manutenção da máquina são feitas da forma correta, o custo da limpeza mecanizada é muito menor do que a limpeza manual, e a tecnologia de robôs autônomos fará este mesmo percurso”, completa Sacha Haim. “Assim como o celular e a TV de tela plana não voltarão a ser o que eram, a limpeza também não seguirá com pano de chão, vassoura, baldes a vida toda… Quanto maior for o sucesso destes novos equipamentos, maior será o investimento dos fabricantes. É um caminho sem volta”.

“O que percebemos é que a robotização da limpeza no Brasil está sendo demandada pelas indústrias que estão se modernizando para o conceito 4.0 e construções com edifícios inteligentes. É natural que, quanto mais desenvolvermos nossa economia local, mais a mão de obra para serviços repetitivos como a limpeza passe a ser escassa. Com isso, a aplicação de máquinas autônomas será necessária e, com o maior volume, os valores tendem a diminuir no mesmo ritmo em que mais profissionais serão qualificados para programá-las e operá-las”, finaliza André Stopiglia.

Os RMAs são a promessa de solução para absorver as tarefas maçantes, perigosas e sujas nas quais os humanos em breve não poderão mais perder seu tempo. No futuro, os robôs se tornarão multifuncionais e executarão várias tarefas 24 horas por dia, não só de limpeza, mas em entregas, estocagem, rastreamento e muito mais. Nos próximos anos, todos nós poderemos vê-los não apenas em grandes empresas, mas em escolas, hospitais e armazéns, e nos mais diversos lugares. Ainda é cedo para prever quais impactos toda essa tecnologia trará para as rotinas de trabalho. Mas se teve algo que a pandemia nos ensinou é que mudanças profundas também acontecem da noite para o dia, quando se menos espera. E você, já está preparado?

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.



Fonte: Revista Higiplus

Tags: tecnologia limpeza máquinas robôs tarefas

Leia a notícia inteira