Energia solar vai levar eletricidade a 5.000 pessoas do Pantanal até 2022

1 mês atrás 159 visualizações
LinkedIn

O governo de Mato Grosso do Sul apresentou na terça-feira, 2, o projeto “Ilumina Pantanal”, que levará eletricidade, por meio de energia solar, a mais de 5.000 pessoas que moram no pantanal sul-mato-grossense.

O secretário de Agricultura, Jaime Verruck, participou da solenidade e contou que o projeto surgiu da obrigação legal da universalização da energia elétrica e atenderá uma região do estado ainda desprovida.

Segundo ele, trata-se da maioria iniciativa de energia limpa em um único bioma através de política pública. “Ficamos três anos trabalhando sobre impactos ambientais e melhores tecnologias. Chegamos a um projeto que hoje consiste em universalizar energia elétrica no pantanal através de 101 pontos de energia convencional e elevar para 2.066 os pontos de energia solar no estado, que será armazenada em uma bateria para ser utilizada à noite”, diz.

Energia solar: empresa lança sistema que dispensa conexão com rede elétrica Setor de energia solar deve ter crescimento de 27% em 2021

A partir de julho, a maioria das unidades consumidoras atendidas terão instalados microssistemas individuais de geração solar fotovoltaica e armazenamento de energia excedente em baterias.

Energia solar dará melhores condições aos pantaneiros

Verruck acrescenta que o projeto vai promover um salto na qualidade de vida da população de toda a região pantaneira, além de ganhos significativos para as atividades econômicas das comunidades ribeirinhas e de produtores rurais.

“Sempre falamos muito da qualidade de vida do produtor pantaneiro, da dignidade e de garantir futuras gerações. Nós vamos, com a energia elétrica, melhorar a qualidade de vida e trazer perspectiva para o futuro”, diz.

Todos esses investimentos virão sem custos ao consumidor, que arcará apenas com a tarifa social. “Ao longo do projeto, conseguimos fazer uma caracterização técnica no programa e o Conselho de Consumidores teve papel fundamental para podermos usar recursos do período de fundos nacionais de energia elétrica. Com isso, os investimentos não serão pagos nem pela tarifa nem pelos beneficiários”, diz Verruck.

Ao todo, 2.167 unidades consumidoras serão beneficiadas pelo projeto até 2022, o que representa em torno de 5 mil habitantes, espalhados por uma área de 90 mil km², nos municípios de Corumbá, Aquidauana, Coxim, Ladário, Porto Murtinho, Rio Verde e Miranda. Desse grupo, 77 famílias já foram atendidas por rede de distribuição convencional, e agora 2.090 serão atendidos por sistemas individuais cuja fonte de energia é solar.

Fonte: Canal Rural - Agricultura

Tags: energia solar projeto elétrica pantanal

Leia a notícia inteira