Benefícios de fazer uma consultoria ambiental em Campinas

1 mês atrás 73 visualizações
LinkedIn

Um espaço urbano limpo limitará essa fonte de poluição. No entanto, as operações de limpeza consomem recursos energia, água e também impactam o meio ambiente (ruído, poeira, emissões de gases de efeito estufa, etc.).

Os usuários são sensíveis à limpeza dos locais públicos e aos transtornos causados pela limpeza como evidenciam as reclamações recebidas pelos departamentos. Nas grandes cidades, podemos sentir que os métodos usados para manter certo nível de limpeza estão exercendo forte pressão sobre o meio ambiente. 

No entanto, o não é considerado urgente porque não é medido – o que torna difícil perceber a verdadeira extensão das questões em jogo. Porém as cidades como Campinas têm uma importante contribuição nas perspectivas de sustentabilidade do planeta.

Veja também – Quais são os 3 Pilares da Sustentabilidade

AVALIANDO O IMPACTO AMBIENTAL

 A promessa de empregos e prosperidade, entre outros fatores, atrai muito às pessoas para as cidades, como Campinas. Mas nas cidades dois dos problemas mais urgentes que o mundo enfrenta hoje também se unem: a pobreza e a degradação ambiental.

A má qualidade do ar e da água, a disponibilidade insuficiente de água, os problemas de eliminação de resíduos e o alto consumo de energia são agravados pela crescente densidade populacional e pelas demandas dos ambientes urbanos. Um forte planejamento da cidade será essencial para administrar essas e outras dificuldades à medida que as áreas urbanas do mundo aumentam.

Ameaças

O crescimento urbano intensivo pode levar a uma pobreza maior, com os governos locais incapazes de fornecer serviços para todas as pessoas.;O uso concentrado de energia leva a uma maior poluição do ar com impacto significativo na saúde humana;O escapamento do automóvel produz níveis elevados de gases poluentes no ar urbano.Grandes volumes de resíduos não coletados criam vários riscos à saúde e poluição ambiental;O desenvolvimento urbano pode aumentar o risco de perigos ambientais, como impermeabilização do solo e inundações repentinas;A poluição e as barreiras físicas ao crescimento das raízes promovem a perda da cobertura vegetal urbana;As populações animais são inibidas por substâncias tóxicas, veículos e pela perda de habitat e fontes de alimento.

 Soluções

Combater a pobreza promovendo o desenvolvimento econômico e a criação de empregos;Envolva a comunidade local no governo local;Reduza a poluição do ar, melhorando o uso de energia e sistemas de transporte alternativos;Crie parcerias público-privadas para fornecer serviços como coleta de lixo e habitação;Plantar árvores e incorporar o cuidado com os espaços verdes da cidade como elemento-chave no planejamento urbano.

 PLANEJAMENTO AMBIENTAL URBANO

 Então dito isso fazer consultoria ambiental em Campinas traz os benefícios listados acima que, estão desempenhando um papel cada vez mais importante no apoio e na manutenção da população global. 

Pela primeira vez na história da humanidade, mais da metade de todas as pessoas vivem em cidades e, à medida que nossas cidades crescem, também aumenta seu impacto ambiental. 

Embora as cidades ocupem a menor parte da superfície da Terra, tais geram impressionante consumo de energia e das emissões de gases de efeito estufa. 

O consumo de energia é um indicador de uma pegada ecológica muito maior: a área total de terra necessária para manter as atividades de uma megacidade é centenas de vezes maiores do que seu tamanho real.

Grande parte desse crescimento urbano ocorreu sem qualquer planejamento, levando a problemas auxiliares associados à falta de infraestrutura e superlotação. No entanto, nossas áreas urbanas oferecem oportunidades reais de melhorias em sustentabilidade, impulsionando a inovação e abrindo caminho para um futuro mais sustentável.

Existem vários motivadores e desafios únicos associados a esta urbanização recorde:

Construção não regulamentada e desenvolvimento de terras – Um grande afluxo de pessoas pode levar à construção não regulamentada e pressão para o desenvolvimento em áreas propensas a desastres, deixando as pessoas vulneráveis ​​a inundações, aumento do nível do mar, terremotos e consequente destruição de vidas e propriedades.

Superlotação e proliferação da pobreza – A migração urbana para cidades sem infraestrutura adequada pode levar à proliferação de bairros pobres e condições insalubres. As pessoas que residem nessas áreas são mais suscetíveis a surtos de doenças, o que pode impedir sua capacidade de trabalhar produtivamente.

Além disso, a desigualdade pode levar à instabilidade social, levando as empresas próximas a essas áreas a transferirem suas operações. O fechamento de empresas agrava o desemprego e a pobreza, criando um ciclo que leva a uma maior instabilidade na sociedade e na economia.

Infraestrutura inadequada – Com um aumento no emprego, o aumento da renda pode levar a um maior número de famílias com carros. No entanto, esse crescimento normalmente excede a capacidade da cidade de expandir a infraestrutura viária, causando congestionamento de tráfego, o que prejudica as empresas devido ao aumento do custo do combustível e atrasos na entrega de bens e serviços.

O congestionamento de tráfego pesado também pode ser prejudicial para os trabalhadores. Suportar longas horas de tráfego pesado durante o trajeto pode deixar os funcionários cansados ​​e improdutivos ao chegarem aos locais de trabalho. E, ao estender a jornada de trabalho com um deslocamento longo, os trabalhadores podem ter que reduzir suas horas de sono, o que também pode ter efeitos negativos em sua saúde e produtividade.

Impacto nos ecossistemas – as cidades têm efeitos extremos nas vidas e nas relações de plantas e animais, tanto diretamente no espaço urbano quanto indiretamente em outros lugares por meio de sua pegada ecológica. Por meio das emissões de GEE e outros fatores, as cidades contribuem mais para o aquecimento global do que qualquer outra fonte, aumentando a probabilidade de eventos climáticos extremos, como enchentes e secas, que podem ter impactos massivos na vida urbana.

Gestão de água e resíduos. A água, o recurso essencial mais ameaçado do mundo, é um grande desafio para as cidades, onde o risco de poluição é alto e a urbanização pode afetar os padrões de precipitação. O descarte inadequado de lixo municipal pode ter efeitos adversos em tudo, desde a fertilidade do solo e a saúde das plantas até a segurança da água potável.

 PLANEJAMENTO AMBIENTAL EFICAZ

 Infraestrutura – O planejamento ambiental abrangente deve garantir que a infraestrutura da cidade seja construída e operada de forma sustentável. Estradas, edifícios, residências e usinas de serviços públicos não devem esgotar excessivamente os recursos naturais, danificar o meio ambiente ou colocar em risco a saúde e a segurança das pessoas.

Políticas – Liderança comprometida é vital na construção de uma cidade sustentável. Líderes e legisladores comprometidos com a sustentabilidade apoiarão as leis e alocarão recursos para iniciativas que promovam a urbanização sustentável.

Quando os governos municipais promovem a sustentabilidade, usando sua posição para construir uma infraestrutura sustentável, eles também tornam sua cidade um lugar seguro e atraente para se viver e trabalhar.

Quando cidadãos e organizações locais criam iniciativas que complementam os esforços de sustentabilidade dos governos municipais, eles também contribuem para melhorar sua própria saúde e meios de subsistência. 

Ao focar na infraestrutura, na política e no envolvimento das partes interessadas, o planejamento ambiental oferece suporte a um relacionamento saudável e dinâmico entre a população de uma cidade e seu meio ambiente. 

Com um número cada vez maior de cidades em todo o mundo buscando maneiras inovadoras de implementar o planejamento ambiental e projetos de sustentabilidade, 2021 parece ser um ano de oportunidades ambientais.

Esse Conteúdo foi densenvolvido pela Horizonte Ambiental. Empresa focalizada na gestão de resíduos sólidos, prestação de relacionadas ao meio ambiente e consultoria ambiental.

Fonte: Celulose Online

Tags: planejamento cidades infraestrutura ambiental urbano

Leia a notícia inteira