A importância do treinamento para auxiliares de limpeza

1 mês atrás 87 visualizações
LinkedIn

Investimento para proteção contra contaminações

Que o processo de capacitação tem papel determinante para melhorar o desempenho, já é consenso. Mas será que o mercado institucional de limpeza tem o completo entendimento da importância da iniciativa para a proteção dos auxiliares de limpeza contra contaminações em tempos de pandemia?

Ana Claudia Mariglani Chelucci, da UniAbralimp – braço educacional da Abralimp – destaca que é preciso que quem atua na linha de frente saiba por que, como e quando realizar os procedimentos em segurança para assegurar a integridade de sua saúde e das outras pessoas também.

Luiz Mattos, da LimpServ, empresa associada à Abralimp, faz coro à afirmação e acrescenta: “informação, conscientização, treinamento e acompanhamento devem ser constantes. É fundamental comunicar os colaboradores sobre o que são vírus, fungos e bactérias e como eles se multiplicam, como agem e quais doenças podem causar”.

Para o executivo, a partir daí, o passo seguinte é esclarecer o que é limpeza, higienização e a importância do uso de EPIS´s (equipamentos de proteção individual): máscara, luvas, sapatos de segurança, fardamento, óculos e proteção facial.

Carlos Eduardo Panzarin de Castro Mello, da Montreal Gtec, outra empresa associada Abralimp, pontua: “além da utilização correta dos EPI´s e a higienização das mãos, os locais e as ferramentas de trabalho também devem ser organizados e limpos”.

De acordo com ele, é fundamental o uso de luvas e máscaras em qualquer situação. “Além deles, os óculos de proteção e os sapatos de segurança. E, em ambientes com suspeita de infecção ou infectados, é importante o uso de macacões e/ou aventais, toucas e óculos de ampla visão”, acrescenta.

“Daí a importância dos treinamentos e orientações ao profissional para instruir a forma correta de realizar as atividades, quais produtos e equipamentos adequados para o serviço e também quais os riscos e atenções durante a execução da tarefa”, destaca Mello.

Da esquerda para direita: Camila Willers Hartmann, Gerente de P&O e Cidiane Zanettin Rei, Gerente de QSSMA no Grupo GPS.

No Grupo GPS, outra companhia associada à Abralimp, por exemplo, são utilizados comumente calçados e óculos de segurança, além de luvas de proteção. “Esses são itens básicos e, conforme o tipo de risco outros acessórios como protetor auditivo, capacete e avental podem ser incluídos”, explicam Camila Willers Hartmann, Gerente de P&O (Pessoas e Organização) e Cidiane Zanettin Rei, Gerente de QSSMA (Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente).

“Primeiramente acreditamos e trabalhamos na conscientização de nossos profissionais, aplicando treinamentos de capacitação sobre os riscos aos quais estão expostos e também nas formas de prevenção existente”, contam as executivas.

Para tanto, são realizadas avaliações de riscos ambientais nos locais de trabalho pela área responsável por Segurança do Trabalho. “Desta forma, há a definição adequada do uso de EPI’s para cada tipo de atividade e EPC’s (equipamentos de proteção coletiva) – quando aplicável”, dizem elas. Além disso, outras medidas como AST (análise de segurança da tarefa) também são utilizadas em procedimentos operacionais.

“Justamente por isso, o treinamento deve ser uma constante quanto à correta utilização dos produtos e materiais, em conformidade com as técnicas e processos de limpeza e higienização, com acompanhamento constante das atividades, além das correções necessárias sempre que preciso for”, atesta Mattos.

Para ele “acima de tudo, é preciso dar suporte e esclarecer todas as dúvidas, pois a conscientização também provoca efeito multiplicador – principalmente junto às famílias dos colaboradores – sobre a importância da higiene e medidas protetivas”.

Treinar, treinar, treinar

Ana Claudia Mariglani Chelucci, da UniAbralimp.

Então, como preparar esses profissionais para a realização de suas funções em um momento tão adverso como o da pandemia? A cada dia mais informações são veiculadas na imprensa e novas cepas do vírus estão surgindo, indicando mais ameaças.

“Há que se ter muito cuidado com as informações, que devem ser baseadas na ciência. Em nossa empresa, sempre que possível, enviamos ou inscrevemos nossos colaboradores nos cursos da Uniabralimp”, revela Mattos.

A UniAbralimp oferece cursos específicos que tratam dos cuidados com a segurança no trabalho e do combate à contaminação pelo coronavírus. “A entidade cumpre com sua missão oferecendo aos seus associados acesso a um rico conteúdo”, explica Ana Claudia.

Entre as opções disponíveis na grade curricular estão, por exemplo, o curso “Segurança no Trabalho” oferecido no formato de vídeoaula disponível via EAD (ensino a distância). “Desta forma é possível acessar no melhor dia e horário para o associado. Além disso, temos também o curso “Limpeza e Desinfecção de superfícies no combate à Covid-19” com aula ao vivo e interação com o instrutor”, completa Ana.

Na prática

Quando a rotina não permite encaminhar os profissionais para os cursos presenciais ou virtuais, a saída encontrada por Mattos é realizar treinamentos através de vídeos e outros materiais, com orientação do RH ou da Coordenação Operacional durante as oportunidades no plantão da empresa.

No Grupo GPS também são conduzidos treinamentos para os colaboradores que atuam na linha de frente através do DDS (Diálogo Diário de Segurança) e campanhas direcionadas à prevenção do coronavírus, além de cuidados com a saúde.

“Entendemos que há risco de uma nova onda, porém, fortalecemos a capacitação das equipes de Saúde Ocupacional, além da criação de um plano de contingência nacional a fim de estabelecer medidas e procedimentos de prevenção, bem como atuar em situações de contaminação”, revelam Camila e Cidiane. Além disso, as executivas contam que foi desenvolvida uma plataforma online para disponibilizar aos colaboradores treinamentos e conteúdo informativo via smartphone.

No piloto automático

Luiz Mattos, da LimpServ.

Mas não basta apenas disponibilizar as informações. É preciso reforçar sistematicamente as medidas de proteção. Para Mello, o auxiliar de limpeza precisa saber que muitos dos vírus e bactérias estão presentes nos ambientes e em objetos, aguardando apenas serem levados ao corpo humano através do toque em superfícies contaminadas.

“Por isso a forma de nos protegermos é criar barreiras para que eles não entrem em nosso organismo, seja utilizando EPI’s que protegem a pele, seja higienizando corretamente as mãos para evitar que as mãos sujas toquem olhos e bocas, e também através da correta higienização de objetos e ambientes”.

“Além disso, é preciso que os auxiliares de limpeza saibam que o trabalho deles é muito importante para a saúde de todos”, acrescenta Mattos. “Eles fazem parte da linha de frente no combate a pandemia e outras doenças. Portanto, têm responsabilidade com a própria saúde e das demais pessoas”, enfatiza.

Saber como é o processo de contaminação, as fontes geradoras e os danos causados são informações imprescindíveis para as equipes. “Os colaboradores devem saber quais EPI´s irão proteger de determinada contaminação, assim como também devem conhecer os procedimentos operacionais e produtos químicos, bem como agir em situação de emergência”, listam Camila e Cidiane.

Envolvendo lideranças

De acordo com a 15ª edição da pesquisa “Panorama dos Treinamentos no Brasil” (realizada pela ABTD – Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento –  em parceria com a Escola de Negócios) – https://conteudo.abtd.com.br/pesquisa-ted-2021 – os segmentos que mais investiram em capacitação profissional em 2020 foram as indústrias e as empresas de serviços.

“Isso comprova que a priorização dos treinamentos se dá também aos líderes de equipes. Acreditamos que uma liderança bem treinada e capacitada possibilita a disseminação de conteúdo”, salienta Ana Claudia.

Camila e Cidiane apontam justamente isso na companhia onde trabalham: “Atuamos em conjunto com a liderança das equipes para que eles sejam os multiplicadores de ações de prevenção de saúde e segurança, assim como fiscalizadores dos postos de trabalho, identificando oportunidades de melhorias a fim de prover um melhor ambiente para as equipes.”

Mattos também concorda que os gestores e líderes devem estar abertos a ouvir, estimulando os colaboradores a perguntar e questionar. “E não ter vergonha de aprender”, ensina ele, que segue complementando: “o diálogo e a valorização dos colaboradores é vital no suporte”, destaca.

Já Mello, lista que primeiramente os gestores de contratos e líderes devem checar se os insumos, os equipamentos e a estrutura estão corretos para a execução das atividades com segurança estão disponíveis aos profissionais.

“Posteriormente devem observar se as atividades estão sendo executadas com os parâmetros necessários de segurança pelo colaborador. Caso não estejam, orientar os profissionais, ou mesmo direcioná-los para treinamentos específicos, como os disponibilizados pela UniAbralimp”.

Ferramentas

Carlos Eduardo Panzarin de Castro Mello, da Montreal Gtec.

Mas quais as melhores ferramentas para otimizar o processo de comunicação e orientação dos profissionais? Em consenso, os entrevistados apontam o conteúdo oferecido pela UniAbralimp.

Mello conta que ele e sua equipe utilizam os materiais técnicos elaborados pela Abralimp, como o Manual de Processos e os Manuais de Procedimento sobre o Covid-19.  “Além disso, utilizamos os cursos online disponibilizados. Fora isto, nossa liderança realiza diálogos com os colaboradores”.

Além dos cursos Mattos cita a utilização do WhatsApp para envio de vídeos curtos aos colaboradores. “Semanalmente, encaminhamos mensagens sobre cuidados de higiene e protocolos de segurança e mantemos um canal de comunicação aberto com o RH e área de suporte”, diz.

Camila e Cidiane listam como principal canal para disseminar informações, conteúdos e treinamentos, os aplicativos operacionais criados pela companhia, no qual os colaboradores podem consultar na palma da mão os procedimentos operacionais e de conscientização. “Também disponibilizamos acesso através de outro aplicativo para a realização de módulos de treinamentos pertinentes a cada função”, explicam.

UniAbralimp

Focada na excelência, a UniAbralimp desenvolve e oferece aos associados da entidade, a fim de aprimorar o mercado, rico conteúdo elaborado por profissionais que atuam no segmento e validado pela área de Conteúdo Técnico da Abralimp.

“Esse movimento crescente nos investimentos em capacitação profissional também pode ser visto a partir dos indicadores que mostram que, do início da pandemia (março de 2020) até agora, foi registrado um crescimento de 40% de participantes nos cursos oferecidos”, revela Ana Claudia.

Ainda segundo ela, outro indicador do reconhecimento da importância dos treinamentos é o aumento no número de patrocinadores da UniAbralimp: “triplicou neste ano!”.

Para verificar a grade e fazer inscrição nos cursos acesse:  www.uniabralimp.com.br.

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.



Fonte: Revista Higiplus

Tags: colaboradores segurança uniabralimp treinamentos mattos

Leia a notícia inteira